30/07/2007

Número de avatares diminuiu bruscamente, mas ainda é cedo para falar em fracasso do SL.

Lendo o Caderno de Economia do Estadão de hoje, acompanhei toda a matéria que fala sobre o possível fracasso do Second Life. Mas isso seria realmente um fracasso?

Infelizmente muitas pessoas ainda confundem o Second Life como um veículo de mídia, o que seria um grande equívoco. Todo meio virtual deve ser considerado um ambiente e não uma mídia, já que devemos lembrar que a relação dos usuários de web com os de qualquer midia tradicional é totalmente diferente.
Os usuários de Internet não são atingidos geralmente de forma "agressiva", por ser um ambiente os usuarios visitam o dia, a hora e o momento que achar oportuno, por isso o sucesso da internet. Ver, ouvir e ler, na hora e da forma que quiser.
O Second Life teve uma queda recentemente de 80% dos 8 milhões de avatares inicialmente registrados no programa em terceira dimensão.Para quem não sabe, os avatares são as representações virtuais de seus usuários, que criam suas características físicas da maneira que acharem mais oportuna.
Mas os especialistas explicam essa diminuição de visitantes.
A capacidade de processamento dos computadores dos usuários requerem mais potencia, seria esse um dos motivos pela ainda não tão sustentável visão que o programa vem causando na rede.
Outras hipóteses seria de que " Os avatares entram em ambientes das empresas, matam a curiosidade e não voltam, porque não tem razões para voltar lá. É mau uso da ferramenta." disse Abel Reis, VP de Tecnologia e Projetos da Agência Click.
E ele mesmo acredita no futuro sucesso que o SL vai construir na web, por esse motivo ele deixa seu avatar ativo.
Voltando a comparação com a mídia tradicional, o diretor de Mkt da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing ) disse ressaltou dizendo que " O clico de vida da mídia digital é bem mais dinâmico e fugaz para investimento. Já Walter Longo, conhecido popularmente por ser um dos conselheiros de Roberto Justos em O Aprendiz, diz que a tal perda de visitantes seria causado pelos lançadores de tendência, que estavam deixando o SL por já estar se tornando popular. Walter Longo é Mentor de Estratégia das empresas do Justos, além de ser um dos "sócios" do "tendêncioso" blog Update or Die.
Por todos esses e outros motivos, o SL não pode ainda ser considerado um fracasso. O programa ainda tem muito a mostrar e conquistar, só que deve ser encarado com outros olhos por visitantes e também por investidores.
Acredito eu que o SL ainda é um programa em fase beta, ou seja, teste, para que em um futuro não tão distante, possa ser ainda mais conquistado por diversos usuários da rede, e proposta o programa tem, principalmente para os mais populares, que adoram uma comunidade nova e virtual, diga-se de passagem o sucesso que o Orkut criou.

Fonte: O Estado de São Paulo

Um comentário:

GuiCury disse...

Então... um dos problemas levantados numa palestra que assisti, foi de que o Second Life apresenta um problema dos jogos online, que é de você não poder ter um "status" que é o que faz as pessoas entrarem mais e ficarem mais tempo conhecendo o jogo...
Como por exemplo, aqueles RPG´s que o cara joga 20h por dia pra conseguir ser o maior avatar de toda a rede!