07/06/2007

Criação brasileira em crise?

Já li inúmeras matérias e crônicas sobre uma certa “crise” da criação brasileira. Desde o Festival de Cannes do ano do passado, onde a publicidade de nosso país teve um ano ruim em termos de prêmios, diversas matérias foram publicadas em revistas e jornais especializados.

Resolvi abordar este tema aqui no Bloguerreiros. Esta semana recebemos aqui na agência a Revista da Criação, uma revista super bacana, vinculada ao Meio & Mensagem, e que trás matérias interessantes e agradáveis. E uma dessas matérias era um debate entre publicitários renomados do Brasil e da Argentina.

Nos últimos anos a Argentina vem se destacando com criações fantásticas, peças criadas por nossos “hermanos” tem obtido grande êxito no mundo todo, e consequentemente abocanhado alguns prêmios importantes.

Uma das declarações que me chamou a atenção na reportagem da Revista da Criação foi a do publicitário Pedro Capeletti, que disse: “No Brasil, a criação está comprometida com toda a agência, com o negócio da propaganda e do cliente, e sinto que na Argentina isso é mais dissociado. Quando se contrata uma agência é para que ela crie, o cliente tem noção do que ela irá entregar.”.

Confiar no trabalho que uma agência faz é fundamental para o relacionamento cliente-agência. É claro, existe um pequeno número de publicitários que preocupam-se mais em ter um Leão na estante do que solucionar o problema de seu cliente, mas são uma pequena minoria. O Brasil tem excelentes profissionais gabaritados que podem desenvolver campanhas muito mais criativas, basta deixar que eles trabalhem livres.

Reinventar-se, criar algo novo, fazer diferente, tudo isso é muito importante nos dias de hoje, afinal, em um mundo competitivo, agitado e repleto de novas tecnologias, atrair a atenção dos consumidores não é algo simples. É preciso ousadia, inovação e muita criatividade.

É difícil concordar que a publicidade brasileira possa estar em crise, afinal se o trabalho de nossos profissionais estiver obtendo os resultados esperados pelo cliente, é sinal que o trabalho esta sendo bem feito, que os objetivos foram alcançados. É preferível fazer algo muito criativo, mas que não traga resultados, ou fazer o simples e alcançar os objetivos desejados? Se pudermos produzir algo bastante criativo e que obtenha os resultados desejados ótimo, perfeito. Porém não é algo tão simples, não é sempre que um profissional vai conseguir se reinventar e fazer algo novo, ou ,como diria um amigo meu, nem todo dia é sábado à noite.

Queria saber a opinião dos leitores do Bloguerreiros sobre este tema, acho importante discutirmos isso. Sou a favor da inovação, da criatividade sem limites, do novo, do diferente... Mas também sou a favor do funcional, do objetivo e do prático. Acho que quando um profissional de publicidade consegue casar estas características o seu trabalho chegará bem próximo da perfeição. O que vocês acham?

Para quem não conhece a Revista da Criação, clique aqui e confira a edição on line da revista. Tem matérias fantásticas e riquíssimas.

5 comentários:

Bruno Delfino. disse...

Bom, vou dar minha opinião sobre o assunto.

Sou muito novo e ainda não tenho muita experiência em publicidade, mas eu acredito que a criação brasileira não esteja totalmente em crise. Claro ainda tem muito que melhorar mas eu já vi coisas boas por aí.

Um anúncio tem que ser criativo e inovador mas sempre tendo simplicidade e objetividade acima de tudo. Os publicitários devem ter em mente conquistar os clientes e não os prêmios.

Essa é a minha opinião.

Abraços.

Bruno Delfino.
http://by-theway.blogspot.com

Caio disse...

Postei hoje lá no Blogcitário uma campnha que mostra a excelência criativa dos nossos hermanos: www.novoblogcitario.blogspot.com

Alex Gonçalves disse...

Muito se diz que os brasileiros procuram fazer um propaganda criativa em vez de uma efetiva... será?

Rafael Amaral disse...

Bom, que a propaganda brasileira já esteve melhor é fato.
O papel da agência é resolver o problema do cliente. Os prêmios são consequência.

Sobre os brasileiros criarem peças criativas mas não efetivas, não concordo. Acredito que é possível criar algo inovador e eficiente. Não acho que esse seja o ponto principal da "crise".

E vocês?

Raquel Benchimol disse...

Oi, Bruno, tudo bem?
Achei seu blog no literar.org
Queria te perguntar: você tem interesse em publicar um livro?
Manda um email pra mim no raquel@livropronto.com.br pra gente conversar, tudo bem?
E entra no site pra dar uma olhada!
www.livropronto.com.br
Até mais!
Abraço!