11/08/2007

Mídia Interativa.

Fala pessoal. Primeiramente peço desculpas por não postar ontem, pois não tive tempo. Hoje vou postar um artigo bem legal sobre mídia interativa.

A internet está crescendo muito ultimamente e o mercado publicitário tem explorado cada vez mais a interatividade que a rede pode proporcionar. Recebi por e-mail um artigo muito interessante feito pelo Moacyr Netto, onde ele não cita verdades absolutas na hora de criar uma campanha on-line, mas diz algumas dicas que podem nos ajudar a ganhar mais credibilidade e originalidade durante a realização de um projeto.

Vale a pena dar uma lida:

“Não acho que exista uma receita para criar uma ação de sucesso na
internet. Particularmente, não acredito em fórmulas e a graça do nosso
mercado está justamente na velocidade com que ele muda a cada dia.

Contudo, alguns pontos para discussão podem ser levantados, reunindo
coisas que aprendemos ao longo da carreira e que podem ser úteis, de
forma despretenciosa e sem encerrar o tema por aqui.

1. Faça mais do que uma campanha online
Divirta seu público. Encontre uma brecha no briefing para uma
abordagem diferente. Tenha uma grande idéia, simples, fácil de
entender e que dê vontade de espalhar. Depois pense na melhor forma de
contá-la: hotsite, banners, vídeos virais, e-mail marketing, ações de
guerrilha, instalações, print, tv mobile, etc... Não existem fronteiras
entre as mídias na cabeça do consumidor. Por que deveria haver nas
agências? Abra um diálogo com seu consumidor. Escute, aprenda com ele.
Ele não é mais receptor, é parte da mensagem. Por que bombardeá-lo com
fatos sobre seu produto? Conquiste, não estupre.

2. Arrisque

Idéias que ninguém tentou normalmente trazem uma percepção de alto
risco. Mas o grande risco talvez seja, na verdade, o de fazer algo
comum e não ser notado. Arrisque, sempre.

3. Busque enriquecer seu processo criativo
Pesquise o assunto em questão e seus temas relacionados ou não. Leia
livros sobre curiosidades, estude outras culturas, observe as pessoas.
Pergunte ao cliente coisas que ele não falaria espontaneamente. Tenha
um caderno de anotações com idéias e interações não usadas. Lembra
daquele filme de Coca-Cola, com o elefante nadando no fundo do mar?
Antes de virar propaganda ele era só uma cena de um documentário.
Enfim, encha a sua cabeça. E depois desencane. Vá ver um filme,
namorar, jogar bola. Deixe seu cérebro trabalhar pra você e só pegue
no lápis no outro dia.

4. Cave mais fundo

Não sou fã de metáforas, mas... pense na grande idéia como um tesouro
enterrado numa ilha cheia de piratas. Sua cultura define o tamanho da
sua pá. O briefing define onde começar a cavar. E seu critério do que
vem a ser uma grande idéia define a hora em que você deve parar.
Durante sua jornada, você vai encontrar diversos baús no seu caminho.
Muitos deles resolveriam seu problema no curto prazo. Só um pode mudar
sua vida. Continue cavando até encontrá-lo.

5. Fique de olho nos caminhos que deram certo
Em seguida, ignore completamente os caminhos que deram certo. Se
alguém já fez, por que você vai fazer? Boas idéias são como portas que
só se abrem uma vez. Se alguém já passou por uma porta, procure outra.
Resista. Você vai ver como é boa a sensação de fechar uma porta bem
fechada.

6. Crie para o consumidor, não para o cliente
É relativamente fácil agradar um diretor de marketing. Coloque o
produto em primeiro plano, encaixe uma interação engraçadinha e,
pronto: hora de pensar no fim de semana. Difícil mesmo é criar uma
campanha com a qual o consumidor se identifique a ponto de mudar o seu
comportamento. Algo que mexa com ele. Só para exemplificar, estive em
Cannes esse ano e acho que os hermanos argentinos têm feito isso muito
bem na TV. Enquanto nós vendemos produtos, eles vendem boas histórias.
Nós fazemos dinheiro e, eles, marcas.

7. Respeite prazos e verbas, sempre que possível

Atividade nenhuma prospera sem equilíbrio. Um músico, por exemplo. Se
o cara só faz rock and roll, é careta. Se só faz sexo, é tarado. Se só
usa drogas, é junkie. Se ele faz as três coisas, é um "rockstar". No
caso de um webstar, o trinômio sexo, drogas & rock and roll muda para
custo, prazo & qualidade criativa. A imagem de um bom trabalho é um
triângulo perfeito. Se algum desses vértices falhar, a coisa entorta.
A banda desafina. E o cliente decide fazer seu show em outra casa.

8. Fique atento a novas tecnologias

Acredite, o mundo é dos nerds. Enquanto você perde seu tempo com esse
texto, os inventores do Google escolhem um iate novo. Preste atenção
em cada novo aplicativo, interação ou linguagem. Essa é a grande
vantagem do nosso meio. Podemos casar novas tecnologias com conceitos
bacanas para nossos clientes, fazendo a marca sair na frente de todo
mundo. Seja um profissional "versão beta", sempre aberto a melhorias e
inovações.

9. Menos é mais
Na hora da execução, esqueça os efeitos, animações e firulas. Não
deixe nada entre o consumidor e a idéia. Apenas passe seu conceito da
maneira mais forte e clara possível (exceção apenas para os casos
raros em que as firulas representam a idéia em si).

Parafraseando Pascal, desculpem-me por esse texto tão longo. Tivesse
eu mais tempo, ele teria sido muito menor.

10. Item eliminado em função do item anterior


É isso aí. Espero que vocês tenham gostado.


Um abraço.

Bruno Delfino.
http://by-theway.blogspot.com

Um comentário:

dotProdutora disse...

bacana, existem tópicos que eu ainda não tinha pensado sobre. e parabéns pelo novo style da página, abraço